Vinha de Leonardo da Vinci em Milão

Leonardo da Vinci chegou a Milão em 1482 a pedido do duque Ludovico Sforza, que encomendou-lhe a maior estátua equestre do mundo para homenagear o pai falecido e, alguns anos mais tarde, A última ceia no refeitório da igreja Santa Maria delle Grazie.

Quando já tinha terminado de pintar o Cenáculo, em 1498, Ludovico, sabendo que Leonardo vinha de uma família de produtores de vinho, deu-lhe uma vinha.

Provavelmente, você só virá a Milão uma vez, não deixe de conhecer o terraço do duomo, que tem uma das vistas mais bonitas da cidade e quase ninguém conhece, garanto que você vai adorar.

Vinha de Leonardo da Vinci em Milão Vinha de Leonardo da Vinci em Milão Vinha de Leonardo da Vinci em Milão Vinha de Leonardo da Vinci em MilãoLocalizada no pátio da Casa degli Atelliani, em frente à igreja Santa Maria delle Grazie, a vinha de Da Vinci estendia-se por um terreno de 8.300 metros quadrados.

No inverno de 1500, quando Milão foi dominada pelos franceses, Leonardo foi obrigado a abandonar a cidade, mas deixou a sua vinha aos cuidados do pai do seu discípulo favorito, Gian Giacomo Caprotti.

Além de expulsarem Da Vinci de Milão, os franceses destruíram a estátua do cavalo com mais de 7 metros de altura e confiscaram a sua vinha.

Em 1507, o lugar-tenente do rei da França na Itália pediu para Leonardo voltar a Milão para finalizar algumas obras que ele tinha começado e restitui-lhe a vinha.

Um mês antes de morrer (02/05/1519), Leonardo deixou um testamento dividindo o vinhedo em dois lotes iguais, atribuindo uma parte ao pai de Gian Giacomo Caprotti e a outra, a Giovanbattista Villani, o seu servo fiel.

Mesmo que você não entenda nada de pintura, não deixe de visitar o Cenáculo em Milão, A última ceia de Leonardo Da Vinci é uma obra-prima única no mundo, que deu início a uma nova era na história da arte.

Vinha de Leonardo da Vinci em MilãoVinha de Leonardo da Vinci em Milão Vinha de Leonardo da Vinci em Milão Depois de passar por várias mãos, a vinha de Da Vinci foi praticamente destruída em 1920 por culpa de um incêndio.

Em 1943, foi tomada pelos escombros da Segunda Guerra Mundial.

Em 2015, no mesmo lugar onde a vinha de Leonardo esteve por mais de quatro séculos, a Expo assistiu ao renascimento do vinhedo de Da Vinci, graças aos estudos do enólogo Luca Maroni e à contribuição da Università degli Studi di Milano, que identificaram e voltaram a cultivar a casta de Leonardo: a Malvasia di Candia Aromatica.

O lago de Como fica pertinho de Milão e é um dos lugares mais incríveis da Itália. Não perca a oportunidade de fazer um passeio de barco exclusivo por Varenna e Bellagio, simplesmente mágico, inesquecível. Você vai se apaixonar.

Horário de funcionamento: diariamente das 9:00 h. às 18:00 horas.
Preço: € 10.
Endereço: corso Magenta, 65.
Metrô: linhas vermelha e verde, estação Cadorna.

1 Response

  1. 26/05/2019

    […] San Maurizio até o Cenáculo e a Vinha de Leonardo, são mais 750 […]

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.