Basílica de Sant’Eustorgio em Milão

O nome da basílica, construída no século IV sobre as ruínas de um cemitério, é em homenagem a Eustorgio I, bispo de Milão entre os anos 344 e 350 d.C..

O edifício foi entregue aos frades dominicanos em 1220, que encarregaram-se da sua transformação construindo as 3 primeiras capelas e o campanário, e reformando o cruzeiro e algumas partes da nave da igreja.

Em 1234, a basílica de Sant’Eustorgio tornou-se ofício da Inquisição na Lombardia.

Em 1252, um frade (Pietro) foi assassinado por um grupo de hereges e, em menos de 1 ano, foi canonizado e enterrado ali.

Nos séculos XIV e XV, muitas famílias influentes patrocinaram os monumentos fúnebres das capelas da basílica, entre elas, a família Portinari, que construiu uma capela destinada aos restos mortais de San Pietro Martire.

Entre os anos de 1483 e 1489, foi a vez da capela Brivio, onde foram colocados os polípticos da Madonna con il Bambino con San Giacomo e de Sant’Enrico di Ambrogio da Fossano, e o túmulo de Giacomo Stefano Brivio.

O lago de Como fica pertinho de Milão e é um dos lugares mais incríveis da Itália. Não perca a oportunidade de fazer um passeio de barco exclusivo por Varenna e Bellagio, simplesmente mágico, inesquecível. Você vai se apaixonar.

Basílica de Sant’Eustorgio em MilãoBasílica de Sant’Eustorgio em Milão Na segunda metade do século XV, o convento entrou em declínio. Em 1559, o Tribunal da Inquisição foi transferido para a comunidade dominicana de Santa Maria delle Grazie. No entanto, o complexo Sant’Eustorgio assumiu uma nova importância devido à valorização da basílica como sede do primeiro estabelecimento cristão e local de sepultamento de mártires promovida por Carlo Borromeo.

A restauração da basílica, ocorrida entre os séculos XVI e XIX, envolveu importantes artistas lombardos como Giulio Campi, Carlo Urbino, Andrea Pellegrini, Daniele Crespi, Giovanni Mauro della Rovere, Federico Bianchi, Francesco Croce e Antonio Lucini.

Em 1798, o convento deixou de funcionar.
Em 1911, o complexo foi adquirido pela prefeitura de Milão.
Em 1943, os bombardeios da Segunda Guerra Mundial destruíram boa parte do convento.
Em 2000, a basílica foi restaurada novamente.

Curiosidades: embaixo do coro da basílica, encontram-se uma abside de época romana, que foi descoberta durante escavações realizadas entre os anos de 1959 e 1966, e um cemitério pré-cristão e paleocristão, ou seja, com túmulos de cristãos e pagãos, o qual Sant’Ambrogio nomeou cemitério dos mártires em função das vítimas precedentes ao Édito de Milão (313 d.C.), que declarava que o Império Romano seria neutro em relação ao credo religioso, acabando com as perseguições e mortes.

Mesmo que você não entenda nada de pintura, não deixe de visitar o Cenáculo em Milão, A última ceia de Leonardo Da Vinci é uma obra-prima única no mundo, que deu início a uma nova era na história da arte.

Igrejas de Milão a Basílica de Sant’EustorgioO antigo edifício teve uma importância muito grande na vida religiosa da cidade: nele, o apóstolo Barnabé teria batizado os primeiros cristãos, além de abrigar a sepultura do bispo Eugenio e as relíquias dos Reis Magos.

Igrejas em Milão Basílica de Sant’Eustorgio Sepultura do bipo Eugenio

Reza a lenda que a Arca dos Magos (o sarcófago) foi transportada de Constantinopla a Milão pelo bispo Eustorgio na primeira metade do século IV.

Igrejas em Milão Basílica de Sant’Eustorgio

No campanário da basílica, ao invés da cruz tradicional, encontra-se uma estrela de 8 pontas, a estrela dos Reis Magos, que indica a presença das relíquias.
Turismo-em-Itália-Pontos-turísticos-de-Milão--a-basílica-de-Sant’EustorgioTodos os anos, no dia 6 de janeiro, a basílica de Sant’Eustorgio promove a procissão dos Reis Magos, que sai do duomo com destino à basílica, com direito a trajes históricos e animais no cortejo.

*A entrada na basílica é gratuita, no entanto, o acesso ao museu de Sant’Eustorgio, à capela Portinari, à capela Solariane e ao cemitério paleocristão custa € 6.

Horário de visita: diariamente das 10:00h. às 18:00 horas.
Endereço: Piazza Sant’Eustorgio, 1.
Metrô: linha verde, estação S. Ambrogio.

Provavelmente, você só virá a Milão uma vez, não deixe de conhecer o terraço do duomo, que tem uma das vistas mais bonitas da cidade e quase ninguém conhece, garanto que você vai adorar.

Foto: ilgiorno.itAinda sem hotel? Faça a sua reserva para Milão ou qualquer outra cidade do mundo por aqui.
Se você fizer a reserva utilizando a caixa do Booking abaixo, nós ganhamos uma comissão, assim, além de você conseguir um hotel bacana, pagando menos, ainda dá uma força para recompensar o trabalho do blog sem pagar nada a mais por isso, aliás, quem reserva pelo Booking recebe desconto em cima do preço normal do hotel. Quanto antes você fizer a sua reserva, mais baixos serão os preços.

Booking.com

3 Resultados

  1. 03/04/2015

    […] Simone Betoni Este mês, eu recebi a visita de um grande amigo meu, brasileiro, que fez um pedido especial: […]

  2. 27/07/2018

    […] Saindo do duomo, o percurso começa na via Torino (onde não faltam opções de lojas de roupas baratas), segue pela corso di Porta Ticinese e vai até a antiga porta de acesso pelo sul da cidade na praça XXIV Maggio. Ainda sem hotel em Milão? Confira as ofertas aqui. A Porta Ticinese é um dos bairros mais alternativos de Milão. O comércio por ali é local. As lojas não são aquelas típicas que você encontra no centro de todas as cidades europeias como H&M, Zara, etc., são marcas bem menores, descoladas e originais. Ao longo da caminhada, você também irá encontrar algumas opções de bares, uma cervejaria artesanal, restaurantes, pizzarias, confeitarias, muito grafite, além de duas importantes basílicas: a de San Lorenzo e a de Sant’Estorgio. […]

  3. 01/09/2018

    […] Ao longo da caminhada, você também irá encontrar algumas opções de bares, uma cervejaria artesanal, restaurantes, pizzarias, confeitarias, muito grafite, além de duas importantes basílicas: a de San Lorenzo e a de Sant’Estorgio. […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *