O Neoclassicismo em Milão

by · 29/04/2014

O século XVIII foi um período de grande renovação arquitetônica em Milão, no qual se destacam os trabalhos de Giuseppe Piermarini, arquiteto da corte da imperatriz Maria Teresa da Áustria, que projetou o Teatro alla Scala, ocupou-se da reestruturação, em estilo neoclássico, do Palazzo Reale e do Palazzo Arcivescovile e enriqueceu a Porta Venezia, entrada da cidade para quem chegava da Áustria, com palácios nobres.

O Teatro alla Scala

O Teatro alla Scala

Palazzo Arcivescovile

Palazzo Arcivescovile

No número 13 da corso Vittorio Emanuele II, há uma estátua de um homem de toga feita, provavelmente, em homenagem a um arcebispo de família nobre do século X. Conhecido como Omm de Preja ou scior Carera era utilizado para colocar mensagens, sátiras e comentários no início do século XIX.

curiosidades de Milão os secretos da estátua Omm de Preja na rua Vittorio Emanuele 13

Quase no final da rua, está localizada a igreja neoclássica San Carlo al Corso, cuja fachada remonta a um templo da época clássica.

Basílica de San Carlo al Corso

Basílica de San Carlo al Corso

A corso Vittorio Emanuele II termina na praça onde se encontra a igreja San Babila, uma das principais igrejas românicas de Milão (século IX), que foi reconstruída em estilo neorromânico na metade do século XIX.
Seguindo pela corso Venezia, na altura da via San Damiano, surpreende a imponência do Palazzo Serbelloni (1793), antiga residência de Napoleone, Metternich, Vittorio Emanuele II e Napoleone III, sede do Circolo della Stampa, que organiza congressos e exposições no grande salão napoleônico.

Palazzo-Serbelloni-milao

Os números 47 e 51 da corso Venezia pertencem, respectivamente, ao neoclássicos Palazzo Saporiti e Palazzo Bovara, famoso por ter hospedado Stendhal no começo do século XIX.

O que fazer em Milão sem pagar nada - Palácio Saporiti

Palazzo Saporiti

Palácio Bovara

Palácio Bovara

Não muito longe, na via Palestro, encontra-se uma das maiores obras do Neoclassicismo milanês: a Villa Belgiojoso Bonaparte, conhecida também como Villa Reale. Em frente, estendem-se os jardins à italiana de Piermarini, os Giardini Pubblici Indro Montanelli, que abrigam o Palazzo Dugnani, construído no século XVIII.

Vila Real

Vila Real

Os-principais-palácios-de-Milão-Turismo-na-Itália-Palácio-Dugnani-em-Milão

Palazzo Dugnani

No começo do século XIX, duas novas construções enriquecem o cenário milanês: o Arco della Pace e a Arena Civica, que constituem uma retrospectiva do mundo antigo.

O arco da Paz

O arco da Paz

Voltando para a corso Vittorio, descobre-se a Galleria Vittorio Emanuele II, uma rua coberta na qual, pela primeira vez na Itália, o ferro e o vidro foram utilizados como material de construção.
A galeria, que une o Duomo ao teatro Scala, foi construída na segunda metade do século XIX em homenagem ao rei da Itália.
Galleria de MilãoAtrás da Piazza Scala, está a igreja San Fedele, inaugurada em 1835. E, não muito longe, a via Omenoni com a bela Casa degli Omenoni e o Palazzo Belgioioso de Piermarini.

Igreja Santa Maria della Scala in San Fedele

Igreja Santa Maria della Scala in San Fedele

Casa degli Omenoni

Casa degli Omenoni

Palácio Belgioioso

Palácio Belgioioso

Ainda sem hotel? Faça a sua reserva para Milão ou qualquer outra cidade do mundo por aqui.
Se você fizer a reserva utilizando a caixa do Booking abaixo, nós ganhamos uma comissão, assim, além de você conseguir um hotel bacana, pagando menos, ainda dá uma força para recompensar o trabalho do blog sem pagar nada a mais por isso, aliás, quem reserva pelo Booking recebe desconto em cima do preço normal do hotel. Quanto antes você fizer a sua reserva, mais baixos serão os preços.


Booking.com

 

Artigos relacionados:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *